Barco adaptado leva Convenção dos Direitos Humanos ao papa

O catamarã "Lo Spirito di Stella", adaptado para pessoas com mobilidade reduzida, inicia hoje em Portimão mais uma etapa europeia da navegação até Roma, onde entregará ao papa Francisco a Convenção dos Direitos Humanos das pessoas com deficiência motora.

A viagem da embarcação, adaptada para deficientes motores, iniciou-se em abril em Miami (Estados Unidos da América), passando depois por Nova Iorque, onde recebeu do secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, a Convenção para que seja assinada pelo Estado do Vaticano.

O projeto solidário "Wheels on Waves", do velejador tetraplégico italiano Andrea Stella, vai terminar em setembro em Roma, com passagem por vários portos da Europa, percorrendo cerca de seis mil milhas marítimas, numa campanha que visa também sensibilizar para os problemas com que se confrontam as pessoas com deficiência motora.

Na etapa entre Portimão, no Algarve, e Gibraltar - território britânico ultramarino, situado no extremo sul da Península Ibérica - a embarcação leva a bordo o português Salvador Mendes de Almeida, fundador da Associação Salvador, que se dedica à problemática da mobilidade reduzida.

"Aceitei o desafio de fazer parte do percurso, neste caso, entre Portugal e Gibraltar, porque adoro o mar e dá-me imensa liberdade", disse à agência Lusa Salvador Mendes de Almeida, a bordo do 'Lo Spirito di Stella', na Marina de Portimão, horas antes de iniciar a aventura marítima.

Salvador crê que a viagem seja tranquila, "num barco equipado com elevadores de acesso aos dormitórios e instalações sanitárias, com todas as condições para acolher qualquer pessoa com problemas motoras".

"Os espaços são maiores, sem degraus, o que permite a circulação de cadeiras de rodas. Se não é assim tão complicado adaptar um barco, o mesmo se poderia fazer nas nossas cidades", destacou.

Para o fundador da associação Salvador, "o barco pode servir como exemplo e um impulso para sensibilizar as pessoas para o problema das acessibilidades".

Além do passeio marítimo, o percurso Portimão-Gibraltar tem para Salvador Mendes de Almeida um objetivo solidário: "O de angariar verbas que ajudem o Fernando Pinto, vice-campeão do Mundo em vela, a adquirir um barco adaptado para a competição".

"O Fernando sofreu um acidente e ficou paraplégico há 17 anos. Atualmente quer ir aos jogos Paralímpicos e precisa de um barco novo", sublinhou.

A Associação Salvador associou-se ao projeto italiano 'Wheeles on Waves' e pretende angariar o dinheiro através da venda das 159 milhas náuticas que ligam Portimão a Gibraltar.

"Por cada milha as pessoas podem contribuir com 48 euros, o que dá cerca de 7.600 euros para que o Fernando Pinto tenha um barco adaptado às suas condições e que possa representar Portugal ao mais alto nível nos Jogos Paralímpicos", frisou.

Fonte: DN

Comentários